sábado, 17 de agosto de 2013

Elizabeth Thomas

“Ninguém imagina que alguém é capaz de matar a sangue frio com nove anos de idade, mas é sim.”


O caso de Beth Thomas não é um caso de crime, homicídio ou psicopatia em si, mas serve como exemplo para mostrar o enorme estrago e efeito que causam os crimes sexuais contra crianças e como isso pode marcá-las para sempre.

Elizabeth Thomas tinha apenas um ano de idade quando a mãe dela faleceu no parto de seu irmão. Os dois ficaram sob a guarda do pai, um sádico que passou os meses seguintes abusando sexualmente de Beth.

Em Fevereiro de 1984, quando Beth tinha um ano e sete meses e seu irmão Johnatan tinha sete meses, o casal Tim e Nancy Thomas os adotou. Nancy não conseguia ter filhos, então as crianças foram muito desejadas após uma longa espera por uma criança. Porém o casal não foi avisado sobre os abusos aos quais as crianças sofreram e começaram a desconfiar de que havia algo errado ao perceberem o comportamento estranho de Beth.

Beth costumava maltratar os animais e tentava constantemente matar seu irmãozinho, sempre que podia o molestava e/ou fazia algo que lhe causasse dor. Além disso, Beth tinha uma sexualidade aflorada precoce, costumava se masturbar diariamente de tal forma que fazia com que sangrasse, chegando a ter que ir ao hospital. Também tinha constantes pesadelos com “um homem que caia sobre ela e a machucava com uma parte dele”.

Ela apresentava um desejo de matar a família inteira. Em certa ocasião, pegou algumas facas da cozinha com a intenção de esfaquear seus pais. Beth podia lidar com aquilo tudo de forma fria e calma, onde era ausente qualquer sentimento de remorso ou culpa, embora ela soubesse claramente em que resultariam suas ações e sobre o que elas causavam.

Em Abril de 1989, Beth foi encaminhada para uma casa especializada em cuidar de crianças com desordem emocional, sendo diagnosticada com Transtorno de Apego Reativo. O Transtorno de Apego Reativo é um grave distúrbio psicológico e afeta crianças e bebês. A característica essencial do Transtorno de Apego Reativo é uma ligação social acentuadamente perturbada e inadequada ao nível de desenvolvimento na maioria dos contextos, com início antes dos cinco anos de idade e associada ao recebimento de cuidados amplamente patológicos.

A condição de Beth envolve a completa incapacidade de se relacionar com qualquer ser humano e/ou criar laços de afeto, incapacidade de sentir ou receber amor, além de uma completa falta de empatia, uma vez que ela era capaz de ferir ou matar outros seres vivos sem ressentimentos.

O documentário “Child of Rage”, exibido pela HBO em 1992, é um compilado de fitas com gravações da terapia pela qual Beth foi submetida, aos 6 anos de idade, com o Dr. Ken Magid e pode ser assistido logo abaixo.


Elizabeth Thomas é uma mulher mentalmente saudável atualmente. 

Elizabeth Thomas atualmente

Se tornou enfermeira na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal e trabalha cuidando de minúsculos bebês frágeis.  Ela escreveu um livro, “More than a Thread of Hope” e, junto com sua mãe adotiva, Nancy Thomas, criou uma clínica para crianças com distúrbios graves de comportamento. Sua vida de sobrevivência e vitória traz esperança e compreensão para pais e profissionais, trabalhando para curar a criança afetada e, acima de tudo, capacitar os pais com uma visão positiva para o futuro do seu filho.

Elisabeth Thomas atualmente


.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.


COMENTÁRIOS PESSOAIS SOBRE O CASO

Eu não costumo dar minha opinião sobre os casos aos quais escrevo, mas nesse caso eu gostaria de expressar o meu ponto de vista, levando em consideração a quantidade de “discussões” sobre acreditar ou não no desfecho da história... Então vou me basear com as informações que obtive até aqui.

Primeiro Ponto: Não adianta se iludir, acreditar no elefante voador cor-de-rosa e achar que é tudo um lindo conto de fadas cheio de purpurina e lantejoulas onde o bem sempre vence o mal. PSICOPATIA NÃO TEM CURA. Uma vez que não se sabe as causas, fica impossibilitada qualquer forma de tratamento ou “reabilitação”. Ninguém deixa de ser psicopata, existe sim uma solução, mas não uma cura! Assim como psicopata não é sinônimo de psicótico, sádico, homicida e seus derivados. Já fiz um post falando sobre o tratamento para psicopatas e a diferença entre psicopatia e psicose.

Segundo Ponto: Nunca, JAMAIS, confunda ou compare a psicopatia com qualquer outro transtorno comportamental. Identificando quais as causas e os eventos que desencadearam certo tipo de comportamento, o tratamento é perfeitamente possível e cada transtorno será tratado da maneira que melhor corresponder a sua melhora. Se você não sabe o que exatamente tratar, não existe tratamento, SIMPLES ASSIM! Um exemplo bem simples: Se você chega num consultório médico e diz que está com dor, se você não souber ONDE EXATAMENTE você sente a dor, como tratá-la? Que tipo de exame o médico deve te passar? Remédio pra que tipo de dor ele vai te receitar? E como receitar um remédio sem saber as causas? – Sabe aquele anuncio que vemos sempre na propaganda da TV “não use esse medicamento em caso de suspeita de dengue”? Então, os sintomas da dengue pode ser claramente confundido com os sintomas de uma gripe, mas os medicamentos que aliviam os sintomas de uma gripe não são os mesmos que tratam uma dengue, podendo, inclusive, ser prejudicial. Logo, se você tem febre é preciso (embora não seja o de costume) saber o que a está causando para então poder fazer uso do medicamento mais adequado, para combater a causa e não tão somente o sintoma.

Terceiro Ponto: O diagnóstico de Elizabeth Thomas foi de Transtorno de Apego Reativo. Independentemente de na época ser proibido diagnosticar uma criança como sendo psicopata, as causas para o comportamento estranho de Beth estavam extremamente claras e os sintomas apresentados corresponde perfeitamente com o diagnóstico dado. Mais uma vez: Sabendo a causa, há tratamento, terapia e, possivelmente, cura. Embora o comportamento de Beth demonstrasse sintomas de psicopatia, os sintomas eram facilmente justificáveis em função do transtorno ao qual foi diagnosticada. MAIS UMA VEZ, dengue e gripe têm alguns sintomas semelhantes, mas são doenças diferentes e requerem tratamentos diferentes... Só pra ser mais clara: os primeiros sintomas da AIDS são febre alta, mal estar, dor de garganta e tosse seca... E ELA NÃO TEM CURA! Embora seus sintomas sejam semelhantes aos sintomas de outras doenças. Beth teve sorte por, na época, não ser permitido a utilização do termo para diagnosticar crianças, porque com certeza seria empregado erroneamente caso alguém a diagnosticasse assim. – Acho que nem preciso pedir pra não confundir causas com sintomas!

Quarto Ponto: VAMOS SUPOR QUE Beth realmente seja psicopata. Vale relembrar que nem todos os psicopatas iniciam uma carreia criminosa e que isso vai depender muito do grau de psicopatia que cada um desenvolver. Algumas dessas pessoas se tornam extremamente manipuladoras e passam a vida sem nunca cometer um homicídio sequer. Dizer que todo psicopata é homicida é um erro gravíssimo.

Finalizando: Quero reforçar que PSICOPATIA NÃO TEM CURA e Elizabeth Thomas NÃO foi diagnosticada como psicopata, ela sofria de Transtorno de Apego Reativo.

.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.

Child Of Rage - A Ira de Um Anjo

Filme lançado em 1992, baseado na história de Elizabeth Thomas


SINOPSE
Uma criança consumida por ódio.
Uma família desesperada para saber o porquê.

Rod Tyler e sua esposa Jill viviam uma vida perfeita com duas adoráveis crianças adotadas, Catherine de sete anos e seu irmão mais novo, Eric. Quando parecia que a vida não poderia ser melhor o casa começa a ficar preocupado com o comportamento sinistro de Catherine.

Ela exerce uma influencia cruel e opressiva sob Eric e aos adultos a sua volta ela manipula com esperteza demoníaca. Mas quando sua violenta forma de convivência começa a se tornar psicopática, seus pais saberão que a resposta estará em seu passado trágico.


Em depressão, eles começam uma controversa convivência que revela um trauma tão horrível que a única forma de resgatar Catherine seria por seu único laço familiar - ou sua morte.

10 comentários:

  1. se eu não me engano vi que ela continua fazendo tratamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onde vc viu isso? Queria ler sobre o assunto...

      Excluir
  2. E se a Beth não tivesse recebido tratamento adequado como, possivelmente, ela poderia estar hoje?

    ResponderExcluir
  3. queria ter pegado ela namoral....

    ResponderExcluir
  4. verdade e as crianças no interior pobres que ao abusadas e não tem acesso a esses tratamentos ....

    ResponderExcluir
  5. Deus a abencoe em sua vida, pois o que esta criança passou (hoje adulta) foi para algum propósito muito maior. Eu sei que hoje beth é feliz. Deus é seu protetor.

    ResponderExcluir
  6. Deus a abencoe em sua vida, pois o que esta criança passou (hoje adulta) foi para algum propósito muito maior. Eu sei que hoje beth é feliz. Deus é seu protetor.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir